segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

Geomonumentos de Caçapava do Sul

Os geomonumentos são as formações rochosas que compreendem uma área muito importante para a cultura e ciência na cidade de Caçapava do Sul. Graças a essas belezas naturais presentes na região, foi possível ser pautada a geodiversidade e como ela é importante para a sociedade que vive em torno delas. Atualmente, a importância dos geomonumentos tem se expandido com ajuda do trabalho realizado pelo projeto Geoparque Caçapava que vem não apenas dando foco à conservação e valorização das áreas chamadas como geossítios, mas também dando novos ares para o turismo e para a cultura, principalmente pela parceria e divulgação de artesãos e empresas da região que auxiliam não apenas na diversidade com seus trabalhos, mas também na geodiversidade.
Alguns dos geomonumentos mais conhecidos são a Serra do Segredo e Pedras das Guaritas, que formam belas paisagens que são apreciadas por turistas e pela comunidade em geral. São formações altas, com formas irregulares e que juntas, originam conjuntos harmônicos e complexos. Esses, além de muitos outros geomonumentos presentes na região, dão tom para uma expansão iminente do geoturismo e da geodiversidade, trazendo ao povo de Caçapava do Sul não apenas algo para se orgulhar mas também voz e destaque, o que é muito importante para que paisagens e encantos naturais como esses continuem sendo preservados e imortalizados na cultura regional.

Serra do Segredo

Pedras das Guaritas

Texto: Heitor Madeira

segunda-feira, 13 de dezembro de 2021

Geoparque Caçapava


Os geoparques são territórios reconhecidos pela UNESCO em que a “Memória da Terra” é preservada e utilizada de forma sustentável para gerar desenvolvimento para a sua comunidade. Esse desenvolvimento pode se dar no turismo, na criação de produtos (geoprodutos), na gastronomia e em todas as formas de atividades que conservem e valorizem o patrimônio geológico, como rochas, minerais, água, solos, relevos, paisagens e fósseis, em associação à cultura da comunidade. Em Caçapava do Sul, o Geoparque é um projeto que formou uma parceria entre a Universidade Federal de Santa Maria e a Universidade Federal do Pampa, que criaram setores de extensão para fazer o gerenciamento e manutenção das ações que o projeto realiza.
O trabalho da UNESCO com geoparques teve início em 2001. Em 2004, 17 geoparques europeus e 8 chineses se reuniram na sede da UNESCO em Paris para formar a Rede Global de Geoparques, onde as iniciativas nacionais para proteção do patrimônio geológico contribuem e beneficiam a adesão a uma rede global de intercâmbio e cooperação, desenvolvendo práticas e padrões de qualidade para territórios que integram a proteção dos locais ligados ao Patrimônio Geológico em uma estratégia para o desenvolvimento econômico sustentável regional.
O projeto Geoparque Caçapava busca a certificação pela UNESCO, para então fazer parte da Rede Global de Geoparques e receber apoio da organização para continuar suas atividades. Atualmente, o projeto realiza eventos como o Geodia, além de feiras com os geoprodutos que possuem certificado de Iniciativa Parceira e capacitações para os empreendedores e artesãos da região. O foco principal é a expansão do turismo de Caçapava do Sul e a divulgação de geodiversidade que por muito tempo foi negligenciada e agora, está recebendo a devida atenção.


Texto: Heitor Madeira
Imagem: Felipe Guadagnin

quinta-feira, 2 de dezembro de 2021

Geoprodutos de Caçapava do Sul

A artesã Rosa Ruschel, presidente do Conselho Municipal de Turismo do Município e atuante na Comissão do Geoparque Caçapava do Sul, falou um pouco sobre os geoprodutos - itens de artesanato e produtos regionais feitos por artesãos e comerciantes da cidade e que são vendidos ao público visitante. A sua loja, Rosa Biscuit, foi uma das primeiras a receber o selo de Iniciativa Parceira do Geoparque e ela se diz confiante na espera da certificação do projeto pela UNESCO.


Empreendedores de Caçapava foram cadastrados com selos de geoprodutos, apoiadores e iniciativas parceiras dentro do projeto do Geoparque, configurando uma grande mudança para os artesãos e comerciantes locais, que vêem seus trabalhos cada vez mais valorizados dentro da cultura local. São no momento, 42 empreendimentos locais com selos do Geoparque e mais alguns irão ser cadastrados assim que um novo edital for divulgado.


Para Rosa, a qualificação e o valor significativo da arte e dos produtos vendidos passaram a ganhar muito mais reconhecimento, pois o Geoparque veio para somar e mostrar Caçapava do Sul para o mundo, com suas belezas e também o que é produzido na cidade, que está cada dia mais focada na difusão do turismo.


Texto: Heitor Madeira

Imagem: Rosa Ruschel (Disponível em: Geoparque Caçapava)


terça-feira, 30 de novembro de 2021

Promoção da Igualdade Racial



No dia 20 de novembro de 2021 foi realizado em Caçapava do Sul o II Fórum Municipal de Promoção da Igualdade Racial, promovido pela Prefeitura Municipal no Clube Harmonia. A pauta principal do evento foi os 50 anos do Dia da Consciência Negra, que surgiu após um grupo de jovens negros se unirem em Porto Alegre no ano de 1971 para discutir a legitimidade da Abolição da Escravatura em 1888 e expandir o protagonismo negro, gerando reflexões sobre questões raciais. Hoje a data é vista como um símbolo da luta antirracista e da representatividade e resistência negra, tendo 20 de novembro como o dia escolhido para prestar homenagem a Zumbi dos Palmares, ícone da luta pela liberdade dos escravos.

Durante o Fórum, foram tratadas pautas em relação ao Conselho Municipal de Promoção da Igualdade Racial e NEABI Unipampa (Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas), além da apresentação do Programa Avançar pela Cultura e das diretrizes municipais. Houveram ainda debates sobre a criação do Plano Municipal de Promoção da Igualdade Racial e apresentação de estratégias, encerrando com uma Ciranda Cultural da Cultura Afro-brasileira.

Texto: Heitor Madeira
Imagens: Lislair Leão Marques

sexta-feira, 26 de novembro de 2021

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Projeto Caminho Fotográfico - Memória das Águas

Durante o Geodia, que ocorreu em Caçapava do Sul entre os dias 18 e 20 de novembro, uma das atrações foi um passeio fotográfico passando por diversos pontos turísticos e importantes para a cidade, principalmente no âmbito da geodiversidade. Em um dos pontos, no Forte D. Pedro II, os guias do passeio, Francisco - graduando de Geologia pela Unipampa - e Juliana - professora e coordenadora do projeto - falaram um pouco sobre o projeto Caminho Fotográfico - Memória das Águas, que tem como objetivo conscientizar e sensibilizar a comunidade de Caçapava em relação às fontes e nascentes de água presentes na região. As fontes são muito importantes para a comunidade, já que sempre serviram os moradores na história da região que se concentram em volta de suas nascentes e estiveram presentes desde a construção do Forte e também da igreja local.


O projeto visa a preservação das fontes e seus integrantes pretendem colocar placas que as identifiquem e tragam informações como a qualidade das águas e com isso dêem visibilidade a esse bem tão precioso e significativo para a região. Segundo a Professora Juliana, “enquanto não há conhecimento, não há cuidado”, ou seja, as pessoas precisam conhecer mais sobre a história do que há em sua volta para se conscientizar - mesmo que as fontes sempre estivessem lá, a preservação depende de uma maior importância a ser dada para elas, que por muito tempo, foram riquezas que não tiveram a devida atenção.


O Geoparque Aspirante UNESCO, projeto que realizou o Geodia possui uma parceira com o projeto Memória das Águas, já que ambos buscam garantir visibilidade e atenção para os geomonumentos de Caçapava do Sul e que o turismo possa ser enriquecido com seus cuidados.


Fonte do Mato

Fonte do Conselheiro

Texto: Heitor Madeira
Imagens: Lislair Leão Marques

segunda-feira, 22 de novembro de 2021

Geodia marcou a última semana em Caçapava do Sul

Nos últimos dias 18, 19 e 20 de novembro aconteceu O Geodia 2021, evento realizado pelo projeto Geoparque Aspirante UNESCO que firma uma parceria entre a Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e a Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA) para divulgação e conservação da geodiversidade da região.

Durante o primeiro dia, ocorreu a visita de alunos da educação básica no campus da UNIPAMPA, que aproveitaram um espaço de conhecimentos sobre a região e as maravilhas da geodiversidade como uma Sessão historiada sobre a Preguiça Gigante, visita ao Jardim da Geodiversidade, Caça aos fósseis, além da presença da Novelaria Santa Maria falando sobre o artesanato com lã, entre outras atrações.








Imagens: Equipe Geodia


No dia 19, sexta-feira, ocorreu um Passeio Fotográfico partindo do Forte Dom Pedro II e passando por pontos históricos de Caçapava, fontes de água, pontos de venda e artesanato dos chamados Geoprodutos e parada para um café onde foi degustada a culinária local. O passeio foi aberto para toda a comunidade local.











Imagens: Lislair Leão Marques


O evento também contou com outras atrações para professores, empreendedores e parceiros do Geoparque, como capacitações e conversas sobre empreendedorismo. Para alunos e crianças, ainda houveram oficinas sobre EcoGastronomia, chás e ervas tradicionais, mais um passeio pelas maravilhas naturais da região e abertura de um concurso artístico para despertar a criatividade dos pequenos, com a temática sendo a Preguiça Gigante.


O Geodia se encerrou no sábado, dia 20 e mais uma vez mostrou o quão importante é valorizar as belezas, a cultura, a história e a geodiversidade da região de Caçapava do Sul, por muito tempo esquecida e que aos poucos vem ganhando mais destaque no turismo regional com a ajuda de projetos como o Geoparque. Agradecemos a todos os envolvidos no evento e encorajamos para que hajam mais movimentos como esse acontecendo na cidade e divulgando as maravilhas de Caçapava à toda comunidade.


Texto: Heitor Madeira - Acadêmico de Comunicação Social - Publicidade e Propaganda pela UNIPAMPA e bolsista do Geoparque.


quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Caçapava do Sul 190 anos: um rastro de transformação

O Projeto Caminhos do Sul da América, idealizado há dez anos, tem objetivo auspicioso: integrar aspectos culturais e o acesso aos países latinos do sul da América do Sul. Com tempos de epidemias mundiais e controle de fronteiras fica bem mais difícil de ser alcançado, no entanto, a semente está lançada e poderá em algum momento futuro brotar e ser efetivo

Enquanto isso, o Projeto mobilizou a comunidade para um novo olhar mais receptivo a um novo setor econômico local e regional. As forças econômicas de Caçapava do Sul concentram-se em setor primário (mineração e agropecuária). Um pulo para o terceiro setor, como de serviços, por exemplo, seria uma próspera transformação para o município que perde, ano a ano, sua juventude que vão para outros lugares em busca de seu sustento.

Para que o turismo seja exitoso é preciso infraestruturas adequadas e uma disposição para receber o visitante. Isto só acontece se a estima e o acolhimento da comunidade estão bem.  Neste sentido, o projeto moveu emoções dos caçapavanos de todas as idades, promoveu o bem estar social e estimulou um olhar novo as riquezas intrínsecas e características desse lugar.

Nestes dez anos realizaram-se inúmeros eventos com abordagens visando sempre o turismo.  Foram exitosos:

1. A valorização do Educador que enfrentam desafios enormes, principalmente na Pandemia.

2. Na Saúde destaca-se: Prevenção ao Diabetes, homenagens as “Mulheres da Saúde” e vídeo “As Dez Mais na Arte da Atenção”, também, Workshop ”Tua Saúde é Nossa Saúde”;

3. Realizamos 32 exposições nos espaços do Hall do Instituto de Educação “Dinarte Ribeiro”, Feira do Livro e Espaço Legislativo Municipal.

4. Oficinas e Cartilhas: Realizemos inúmeras oficinas literárias e lúdicas, e nestas desenvolvemos quatro Cartilhas;

5. Projeto Social: realizamos na Escola Estadual de Ensino Fundamental Cônego Ortiz, com 35 alunos do nono ano. Visando fins socioeducativos e ambientais e da relação com a comunidade. Foi oportunizado aos participantes oficinas literárias e desenhos, visita ao entorno da Escola e dos pontos turísticos de Caçapava do Sul, visita ao Legislativo, participação na Feira do Livro e exposição.

6. Concurso Cultural – Desenhos infanto-juvenis: Desde 2013, realizamos com a parceria com a Câmara de Vereadores de Caçapava do Sul o concurso para homenagear o aniversário do município. Com temática sempre envolvendo paisagens urbanas e rurais, pertencimento e turismo, buscando um olhar caridoso ao lugar em que vivemos.

7. Publicações: Além da ferramenta de comunicação, Blog “Caminhos do Sul da América”, o Projeto publicou, em 2012, duas versões impressas, um livrinho e um livro (português e espanhol) de fotografias estimulando o Turismo com integração dos países do sul da América. Em 2012, foi lançado na Feira do Livro o ebook. Com os livros foram realizados vários eventos: lançamento na Casa de Cultura Mário Quintana em Porto Alegre, participação em Feiras e oficinas com escolares.

8. Concurso Cultural – Fotografia: Desde 2014 realizamos o concurso para homenagear o aniversário do município, com a parceria com a Câmara de Vereadores de Caçapava do Sul. O vencedor do Troféu, sempre também é contemplado com a Agenda. As temáticas sempre envolveram o pertencimento e turismo, buscando um olhar caridoso ao lugar em que vivemos;

9. Patrimônio Histórico: Buscamos sensibilizar a comunidade para preservação e seu valor histórico de edificações e movemos o Poder Público a esta causa. Dentre os eventos destacamos o “Workshop Patrimônio Merece Respeito”;

10. Literatura/88 Palavras: Desde 2013, através do Concurso Cultural com a parceria da Câmara de Vereadores, oportunizamos todos caçapavanos a expressarem o seu amor por nossa terra em 88 palavras.

Além desses dez tópicos acompanhamos eventos paralelos e de outras iniciativas com fins culturais e de turismo. Vemos o município, gigante pela importância e riqueza naturais despontar para o turismo: projetos públicos, espaços culturais e de museu, produtos locais e artesanatos interessantes e ótimo acabamento, melhores infraestruturas de hospedagem e de alimentação.

Caçapava do Sul, a “Sentinela dos Cerros” e suas denominações de “Capital Farroupilha” e “Capital Brasileira do Cobre”, “Geoturismo” localizada no Bioma Pampa Gaúcho, atrai o Turismo de Tradição, Histórico, Religioso, de Aventura, de Passagem, de Contemplação e de Raiz onde os caçapavanos retornam ávidos para saciar a saudade de sua terra.

Poderá, também, Caçapava do Sul ser um Geoparque (aspirante ao reconhecimento da UNESCO). Segundo o percursor desta ideia, professor André Borba/UFSM, o solo caçapavano possui rochas que registram um momento único na evolução do continente sul-americano e africano quando estavam grudados. Estas rochas estão expostas em belos geomonumentos onde se encontram microfósseis mais antigos do sul do Brasil.

E assim, com um rastro de transformação, Caçapava do Sul emerge de um grande potencial turístico com mais aporte e acolhimento dos visitantes. Imagens abaixo do rico artesanato caçapavano.








segunda-feira, 8 de março de 2021

Homenagem as Dez Mais na Arte da Atenção

Homenagem alusiva ao Dia Internacional da Mulher, o Projeto Caminhos do Sul da América, com o tema o "Cuidado", nesse ano 2021 devido a Pandemia do Covid 19 produziu um vídeo para reverenciar as Dez Mais na Arte da Atenção. Vale conferir suas ações:
Arte de Catherine Vargas
 

quarta-feira, 3 de março de 2021

Dia Internacional da Mulher: As Dez Mais na Arte da Atenção

O Dia da Mulher é comemorado no mundo no dia 8 de março. É uma celebração das conquistas sociais, políticas e econômicas das mulheres. Em quarta edição em 2021, o Projeto Caminhos do Sul da América renova as lutas desta importante data com apoio da SECULTUR e Câmara de Vereadores de Caçapava do Sul.

Vivemos em tempo que o mundo pede calma, tempos de ansiedades e incertezas: cuidado e atenção é preciso! Assim, dez Mulheres que no seu dia a dia revelam leveza no trato com o outrem e possuem argumentos fortes na sua defesa e proteção, são homenageadas neste ano de 2021.

Psicóloga Luciele Monteiro Osório, 
pelo seu Amor a Juventude

Pedagoga Educação Infantil, Tia Manica, 
pelo seu Amor a Infância

Prof. de Literatura, Rosalilia Torres Delabary, 
pelo seu Amor a Leitura

Artista Plástica Isa Dóris Teixeira de Macedo, 
pelo seu Amor a Arte

Prof. e Psicóloga, Dulcina Schievelbein,
 pelo seu Amor ao Amparo à Convalescência

Prof. de Educação Física, Vânia Gasparina Gaspar de Freitas, 
pelo seu Amor aos Idosos

Conselheira Tutelar, Cláudia Bairros Fernandes, 
pelo seu Amor ao Amparo Infanto-Juvenil

Pedagoga Cátia Cilene Morais Dutra, 
pelo seu Amor à Raça

Alquimista Mariana Gomes, 
pelo seu Amor à Maternidade

Professora Aposentada Adélia Leão de Rosso, 
pelo seu Amor ao Tradicionalismo

As homenageadas vão expor sua ação em um vídeo que será publicado no dia 8 de março. É maravilhoso partilhar a histórias de nossas homenageadas, pois certamente têm valor na evolução de muitas pessoas de nossa comunidade e igualmente emocionante entender que a experiências delas nutrirá muitas outras.

Imagens de Catherine Vargas Fotografia