sábado, 23 de abril de 2016

26º Feira do Livro - abertura

O estande de livros usados, em que o Projeto Caminhos do Sul da América é parceiro da 26º Feira do Livro, foi muito visitado na abertura. Livros de preciosidade literária foram recebidos como doação e grande volume de livros foi comercializado, que será revertida a Feira.

Agradecemos a todos a contribuição para o sucesso do estande.

Estará aberto até o dia 1º de maio, confira a programação e visite-nos!

quinta-feira, 21 de abril de 2016

26º Feira do Livro

 
O Estande em que o Projeto Caminhos do Sul da América é parceiro da Feira do Livro está pronto com repleta quantidade de livros usados e avulsos dos escritores caçapavanos. Tem a todos os gostos com preços convidativos a aquisição.

A 26º Feira do Livro começa nessa sexta-feira com intensa e variada atividades culturais e artísticas, além de renomados escritores que fazem lançamento no evento.

Confira a Programação e participe!

quarta-feira, 13 de abril de 2016

Estande na Feira do Livro

O Projeto Caminhos do Sul da América participa da 26º Feira do Livro em um estande. O evento acontece de 22 de abril a 1º de maio, no Salão Paroquial, no centro de Caçapava do Sul.

Atente-se a pesquisa: uma árvore inteira dá cerca de 50 quilos = 500 folhas = 15 resmas, dependendo da gramatura do papel: a folha de ofício, por exemplo, tem 75g/m².

No Brasil, o eucalipto é a árvore mais usada na fabricação do papel.  Outras espécies de árvores têm rendimento diferenciado: em alguns casos se gasta mais que uma árvore para fazer 15 resmas, em outras, menos. Cerca de 30% do papel produzido é reciclado. A reciclagem, por sua vez, consome mais energia e água, além de utilizar produtos químicos em maior quantidade para conseguir a remoção de todos os residuais. O custo mais baixo do papel reciclado vem do menor custo da matéria prima. A média de consumo de papel por pessoa é de 51 kg por ano. Ou seja, em média somos responsáveis pelo corte de uma árvore por ano.

Então, de quantas árvores se faz um livro? Depende do seu tamanho e qualidade. Um do jeito de evitar o desperdício do papel é o re-uso. Além de reduzir o desmatamento, se poupa energia elétrica, reduz o consumo de água e a poluição dos rios.

Nesta vertente de pensamento que Caminhos do Sul da América, visando o reuso de livros, abraça o Sebo. Em edições anteriores já acontecia na Feira os balaios com os livros usados. Neste ano, com a parceria do projeto os livros estarão em um único Estande, junto com os livros dos escritores caçapavanos.

Participe e visite nosso Estande!

terça-feira, 5 de abril de 2016

Educação Ambiental – Escola Prof. Josefina Saldanha

O Projeto Caminhos do Sul da América que comemora em maio cinco anos de atividades para o desenvolvimento turístico de Caçapava do Sul e região, ainda em fase de mobilização, retoma as atividades em 2016 com ações de Educação Ambiental para comunidades escolares rurais.

Em alusão, ao Dia Mundial da Água, 22 de março, as primeiras oficinas tratam deste tema. Alunos da Escola Estadual de Ensino Fundamental Professora Josefina Saldanha, localizada na Coxilha São José, tiveram a oportunidade de aumentar suas percepções quanto a importância d’água para a humanidade e a necessidade de preservação das fontes. As atividades foram realizadas em sala de aulas, acompanhadas pelas professoras Rejane Benites Ferreira e Lorena Cassol.

A escola possui 65 alunos e a comunidade escolar não tem acesso à água tratada – um direito universal -. A escola é abastecida por um poço, na qual um agente da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Saúde faz monitoramento da qualidade da água uma vez por mês, segundo informação obtida no estabelecimento.

Segundo pesquisa, o município, em 2013, atendia 73,82% dos caçapavanos com água tratada, índice abaixo da média nacional.

domingo, 24 de janeiro de 2016

Expedição Atacama – Moai

“Na praça central de Santiago no Chile encontram-se várias obras, entre elas o Teatro e a estátua de um Moai. Na Ilha de Páscoa, também no Chile, existem 887 estátuas construídas entre 1200 e 1500 DC pelo povo Rapanui”, diz Eraldo Vasconcelos de Souza, viajante e integrante do Sentinela Moto Grupo.